O Acre deve ser reconhecido ainda neste semestre como área livre de febre aftosa com vacinação. A comissão científica da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) recomendou nesta semana que a nova condição sanitária do estado seja aprovada durante a sessão geral do comitê internacional da entidade, em maio próximo, em Paris. O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, telefonou ontem ao governador Jorge Viana para informá-lo sobre a decisão. "Esse é mais um passo para a erradicação total da aftosa no Brasil até 2006", ressaltou Rodrigues.

Além do Acre, dono de um rebanho de 1,85 milhão de cabeças, a comissão científica do OIE recomendou que os municípios amazonenses de Boca do Acre e Guajará também sejam reconhecidos como livres de doença com vacinação.

A comissão científica esteve reunida em Paris entre os dias 13 e 19 deste mês, quando analisou o relatório do grupo responsável pela avaliação da condição do Brasil em relação à aftosa. O diretor-geral da OIE, Bernard Vallat, enviou fax ao diretor do Departamento de Defesa Animal do ministério, Jorge Caetano Júnior, comunicando-o sobre o assunto.

Formado pelos países membros da OIE, o comitê internacional da OIE tem 60 dias para pedir informações adicionais sobre a situação sanitária do Acre e dos dois municípios do Amazonas em relação à aftosa. Em maio, informou Jorge Caetano, a proposta será apreciada na sessão geral da entidade. "Essa recomendação é fundamental porque toda a análise técnica é feita pela comissão científica.