Na sua exposição inicial à CPI dos Bingos, o advogado Rogério Buratti lembrou o episódio de sua exoneração do cargo de secretário da Prefeitura de Ribeirão Petro, em 1994, durante a primeira administração do atual ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Buratti foi exonerado por suspeita de corrupção, depois que foi divulgada uma gravação de conversa telefônica dele com empresários. Buratti admitiu que fez numa coisa incorreta, mas destacou que nunca foi processado ou incriminado por causa desse fato. "Nada foi provado", frisou. Apesar disso, ele disse ter sofrido "uma condenação tácita" porque, a partir de então, nunca conseguiu retornar à vida pública. "Ser tolhido daquele sonho foi um prejuízo pessoal muito grande", disse Buratti, referindo-se ao que chamou de sonho da geração posterior a 1968, da qual faz parte. Ele relatou que, até assumir o cargo na Prefeitura de Ribeirão preto havia sido militante do PT por 13 anos, quando esteve envolvido com a formação e o desenvolvimento do partido.