O número de mortos devido a uma onda de calor que se abateu sobre toda a Europa subiu a 112 – a maioria de idosos – apenas na França, informou hoje o governo francês. A maioria das pessoas que morreram este ano – 66 – tinha mais de 75 anos e muitas já estavam doentes, segundo o Instituto de Vigilância Sanitária da França.

As temperaturas alcançaram, na média, 24 graus Celsius em toda a França durante o mês de julho, mas subiram para cerca de 35 graus por vários dias. "Foi o mês de julho mais quente na França desde 1950", segundo a Meteo France, a agência meteorológica do país. Ela informou que a onda de calor deste ano por enquanto não foi tão longa e tão intensa quanto a de 2003, quando 15 mil pessoas morreram.

Com os termômetros em alta e nenhum sinal de chuva no céu, o Ministério do Meio Ambiente da Espanha conclamou hoje para que os locais turísticos, principalmente no sudeste do país, comecem a economizar água caso desejem evitar um racionamento do produto nas próximas semanas.

"O abastecimento está garantido até setembro, mas a situação é muito delicada", disse uma alta funcionária do ministério, que pediu anonimato. De acordo com a fonte, os reservatórios de água espanhóis estão com 46,8% de sua capacidade, 15 pontos porcentuais abaixo da média registrada na última década.