O número de furtos e roubos registrados pela Polícia Civil no Centro de Curitiba diminuiu em 20% nos primeiros dez meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, 8.734 boletins de ocorrências foram registrados nas delegacias em 2004. No ano passado, nos primeiros dez meses, a polícia contabilizou 11.035 casos. “Estes números representam o esforço do Governo para combater a criminalidade. Essa é a prova que nossos programas efetivamente contribuem para a segurança dos paranaenses”, disse o secretário da Segurança Pública Luiz Fernando Delazari.

Os furtos e roubos representam a maior parte dos crimes cometidos na região central da cidade. “Na maioria dos casos não há violência física contra a vítima e o ladrão é capturado”, disse o tenente coronel Mauro Pirollo, comandante do 12o Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo Centro da cidade.Segundo o balanço da Polícia Civil, o número de furtos de veículos foi o que mais diminuiu na região central da cidade. A queda foi de 47,44%. O roubo de veículos diminuiu em 26,97%. A quantidade de ocorrências de roubo em geral também caiu, desta vez em 36,20%. Os registros de furtos simples apresentaram queda de 17,97% e os de furto qualificado de 5,81%.

Para Delazari, o programa “Paraná contra o Crime – Polícia na Rua” foi peça fundamental para o resultado positivo. “Desde agosto, Curitiba conta com 1.500 policiais nas ruas. Só a presença deles já coíbe a ação dos bandidos”, disse. Além do novo programa, o patrulhamento de rotina na área central conta, diariamente, com vinte motos, seis viaturas, quatorze viaturas do grupo especializado da Polícia Militar da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel) e ainda com o trabalho de 80 policiais militares que patrulham a região a pé.

Segundo Pirollo, o emprego deste efetivo policial é definido segundo os critérios de aglomeração populacional e número de ocorrências registradas. “É a população que nos indica, através de denúncias, onde devemos atuar. Também nos concentramos em pontos de embarque e desembarque de passageiros”, explicou.

Além do registro de ocorrências por parte da população, outra ferramenta que ajuda no combate à criminalidade na região central são as 14 câmeras de segurança instaladas no prolongamento da Rua XV de Novembro. “Os olhos eletrônicos nos ajudam a agir na hora de um crime e identificar ladrões 24 horas por dia”, disse Pirollo.