A revisão do Programa Nuclear Brasileiro, que já está pronta e no gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, prevê o aumento de 3,7 para 5% da participação da energia nuclear no volume total de energia produzida no país. Para isso, o programa todo envolve 17 anos, vai até 2022, período em que deverão ser investidos US$ 13 bilhões.

A informação foi dada pelo presidente da Comissão Nacional de Energia Nuclear, Oldair Gonçalves. Ele esclareceu que a conclusão da usina Angra 3 é o primeiro passo recomendado pela Comissão Interministerial que revisou o programa.

As declarações do presidente da Comissão foram dadas na sede das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), durante solenidade em que o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, empossou o engenheiro nuclear Roberto Garcia Esteves na presidência do órgão.