O aumento dos combustíveis, anunciado hoje pela Petrobras, já representa um impacto de 0,74% na inflação de novembro (IPCA), conforme levantamento do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos).

Pelos cálculos da entidade, somente a alta de 9% prevista no preço da gasolina ao consumidor influenciará o índice em 0,4%. A elevação do álcool neste mês aumentará o IPCA em mais 0,18%, enquanto a majoração de 12% no gás de cozinha terá impacto de 0,16% na inflação.

O que pode amenizar a alta dos combustíveis, segundo o economista Cid Cordeiro, do Dieese, é a tendência de queda no câmbio, diminuindo sua pressão sobre os preços, além dos preços agrícolas já terem alcançado o limite do espaço de crescimento.

De janeiro a setembro, o IPCA, que reflete a variação de preços no varejo, acumula 8,01%, enquanto o IGP-M, índice de preços no atacado, subiu 14,9%.