O Estado informa que a foto publicada juntamente com o artigo ?Professor de aluno especial tem que ganhar mais??, de autoria de Geraldo Peçanha de Almeida, que circulou nesta página no último domingo, dia 11, não é de uma das escolas citadas no texto, que fala sobre colégios no interior do Paraná que pagam mais a professores que trabalham com alunos especiais. A imagem em questão é de Zélia Maria Mendes, coordenadora da Escola de Educação Especial Vivian Marçal, que fica em Curitiba. Trata-se de uma instituição filantrópica, mantida pela Associação do Deficiente Motor que funciona com ajuda da Fundação de Ação Social (FAS) e do governo do Estado, que cede os professores. A escola atende 143 alunos de 0 a 35 anos, todos cadeirantes portadores de paralisia cerebral.