O Relatório "Bala Perdida", elaborado pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) do Estado do Rio de Janeiro aponta também as vítimas de lesão corporal no Estado. Foram registradas 73.506 ocorrências com vítimas desse crime em 2006 e 2.098 delas foram por arma de fogo, o que representa 2,9% do total.

Do total dessas lesões produzidas por arma de fogo, 9,3% foram ocasionadas por "bala perdida". Os meses com maior número de registro foram janeiro, fevereiro e março que, juntos, apresentaram 65 ocorrências, ou seja, 32,1% do total. O estudo mostra que os jovens, entre 18 e 29 anos, corresponderam a 33,2% dos casos e as crianças entre zero e 11 anos constituíram 6,3% do total. Foi verificado também que 75,1% vítimas eram do sexo masculino e 24,9% do sexo feminino.

A via pública concentrou o maior índice desse crime: 72,7%, ou seja, 149 registros. Em 78,5% dos casos com vítimas fatais, não houve menção a nenhum evento próximo com ação armada; em 8,8% mencionaram ação de criminosos sem a presença policial; 7,8% registraram confronto policial; 2% apontaram operação policial e em 2,9% do total foram mencionados outros eventos nas proximidades, como disparo contra terceiros, baile funk e roubo.

Janeiro/2007

O primeiro mês do ano registrou 6.063 vítimas de lesão corporal, sendo 174 decorrentes por utilização de arma de fogo, o que corresponde a 2,9% do total. Do total dessas vítimas, 28 (16,1%) foram ocasionadas por "bala perdida". O maior percentual (46,4%) de vítimas foi de jovens entre 18 e 29 anos, enquanto as crianças entre zero e 11 anos representaram 3,6% do total. Os homens registraram novamente o maior porcentual de vítimas: 85 7%.

Com relação ao local do fato, 25 dos registros (89,3%) mencionaram ocorrência em via pública; um registro (3,6%) no interior da residência e dois (7,1%) não apontaram o local do fato. Do total de registros com vítimas fatais, 50% não registraram a ocorrência de qualquer evento armado próximo ao local. Em três (10,7%) mencionaram a ação de criminosos armados; confronto policial foi apontado em dois casos e em um a existência de uma operação policial. Em oito registros (28,6% do total) assinalaram eventos como disparo contra terceiros, baile funk e roubo nas proximidades do local do caso.