Fora de casa, o Palmeiras conseguiu frear a empolgação do Internacional, campeão da Copa Libertadores, e, com o 1 a 1, no Beira-Rio, segue há oito rodadas sem perder no Campeonato Brasileiro. O time gaúcho perdeu o jogador Perdigão ainda no primeiro tempo e ficou quase todo o duelo com um atleta a menos.

Começou lenta até demais a partida no Beira-Rio. As duas equipes marcavam muito e não ousavam quase nada. Vários passes errados – mais de 100 contabilizados nos dois lados – e ainda lentidão das duas equipes. Em suma, passou longe de ser um bom jogo.

O Internacional, por sua vez, dava a impressão de ainda estar comemorando a conquista da Libertadores. Sem empolgação alguma, sobrou apenas para Ceará e Rafael Sóbis a tarefa de correr pela equipe.

Sóbis, aliás, fez o único gol dos donos da casa. Recebeu passe na medida de Perdigão e, após escolher o canto, bateu consciente no canto direito do goleiro Diego, 1 a 0, aos 41 minutos do primeiro tempo.

O meia Perdigão havia acabado de dar o belo passe para o gol do Internacional, mas pôs tudo a perder cinco minutos depois. Fez falta, levou amarelo. Exagerou ao reclamar da marcação do juiz Evandro Rogério Roman e foi expulso.

Com um jogador a mais em campo e um gol a menos no marcador, o técnico Tite resolveu jogar a equipe para frente na segunda etapa. Tirou o zagueiro Dininho e colocou Valdívia (que não fez nada) em seu lugar.

E o Palmeiras voltou mesmo melhor. Além de ter por mais tempo a posse de bola, empatou logo aos 4 minutos: Michael levantou na área, Enílton dominou e tocou para Paulo Baier chutar cruzado: 1 a 1. Minutos depois, Marcinho, mais solto no segundo tempo, por pouco não virou, acertando o travessão.

O time palmeirense voltou a ter dificuldade em tocar a bola – ou errava os passes ou buscava, sem êxito, as jogadas individuais. O nível técnico, com isso, caiu e a partida se arrastou para o final. O Palmeiras fica com 22 pontos e o Inter tem 30.