A suíça Nestlé anunciou a compra da Gerber Foods, da também suíça Novartis, por US$ 5,5 bilhões, e tornou-se assim a maior empresa do mundo em alimentos infantis. Graças à presença em países como o Brasil e a China, a Nestlé já tinha uma parcela significativa das vendas desse setor no mundo. Mas, sem uma presença forte nos EUA – maior mercado para os alimentos infantis -, a empresa não tinha ainda o controle do mercado mundial.

A Gerber domina mais de 75% das vendas de comidas para bebês nos EUA, e desde meados dos anos 90 era alvo de interesse da Nestlé. Mas, em 1994, a farmacêutica Sandoz bateu a oferta da Nestlé e levou a Gerber. Anos depois, a própria Sandoz foi comprada pela Novartis que, agora, aceitou vender a empresa à Nestlé.

"A aquisição da Gerber é a perfeita complementação a nossos negócios", afirmou o presidente da Nestlé, Peter Brabeck-Letmathe. Na avaliação dele, a compra dará a liderança à Nestlé não apenas no setor de alimentos infantis, mas também será um "passo decisivo" para o avanço do setor de nutrição dentro da multinacional. Segundo a Nestlé, as vendas anuais da área de nutrição atingirão US$ 8,2 bilhões este ano com a compra da Gerber – que, sozinha, venderá quase US$ 2 bilhões. Além de alimentos infantis, a Gerber vende cremes, seguros de vida, produtos para banho e comidas de microondas adaptadas para bebês.