Os passageiros dos vôos que tinham como destino o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, na manhã deste sábado (31), não enfrentaram apenas os reflexos da greve dos controladores de vôo, no dia anterior. O aeroporto ficou fechado para pousos por 10 horas e 55 minutos, em razão do nevoeiro, um fenômeno climático comum no terminal paranaense, sobretudo no outono e inverno.

De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), o aeroporto precisou ser fechado às 21h40 de sexta-feira e somente foi liberado às 8h35 da manhã de ontem. Desse horário até as 8h45, a operação somente foi possível com o uso do sistema ILS categoria 2. Depois passou para instrumentos menores e somente às 8h55 começou a operar no visual. Até as 9 horas da manhã, das 26 operações previstas, quatro pousos estavam com atraso médio de uma hora e 47 minutos. Oito vôos foram cancelados.

O problema atingiu os passageiros que foram aconselhados no dia anterior a retornar quando a greve dos controladores terminasse. Filas nos balcões para remarcar as passagens e realizar check-in foram inevitáveis. "Isso cansa", reclamou Eurides Morais, de 76 anos, que aguardava desde as 6 horas da manhã o vôo que a levaria a Natal (RN). Indignação semelhante à da atriz e diretora teatral Maria Luíza Mendonça, que participou do Festival de Teatro de Curitiba. "É um absurdo a carga horária que essas pessoas (controladores) têm", disse. "As informações são truncadas, não tem satisfação para o povo brasileiro, acho uma falta de respeito absurda com o País.