O presidente em exercício do PT e coordenador de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à reeleição, Marco Aurélio Garcia, afirmou que não deverá haver "pinotes" salariais para o funcionalismo público num eventual segundo mandato petista. Marco Aurélio disse que houve um grande salto salarial neste governo, que não deve se repetir no futuro.

Segundo ele, o salário do servidor público sofreu estagnação nos oito anos do governo do PSDB e o presidente Lula fez uma recuperação importante, organizando as carreiras do funcionalismo. Segundo ele, isso deixa a situação atual mais equilibrada. "Não precisaremos dar os pinotes que foram necessários para, entre outras coisas, atender as necessidades do nosso funcionalismo público", disse Marco Aurélio. "Os aumentos serão normais.

Garcia disse ainda que a proposta de autonomia do Banco Central não faz parte do programa da reeleição do presidente Lula. Marco Aurélio lembrou declaração do presidente Lula feita em Genebra, na Suíça, na qual considerava a autonomia do BC um tema acadêmico, que poderia ser discutido, mas que não fazia parte de sua agenda e nem do plano de governo.