O vice-presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Sanguessugas, deputado Raul Jungmann (PPS-PE), disse há pouco que o quarto senador citado pelo empresário Luiz Antonio Vedoin, da Planam, não teria ligação com as fraudes na compra de ambulâncias por meio de emendas ao Orçamento. O senador, segundo Jungmann, teria conseguido a liberação de R$ 20 milhões em créditos extra-orçamentários. O vice-presidente disse também que Vedoin não confirmou a acusação contra dois novos deputados no escândalo.

O deputado Fernando Ferro (PT-PE), que deixou há pouco a sala onde o empresário depõe, disse que Vedoin teria afirmado não ter elementos para incriminar de quatro a seis parlamentares. O deputado, no entanto, não soube enumerar esses congressistas.
Por sua vez, a deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) observou que o depoente "foi muito sem critério nas afirmações". De acordo com Vanessa, em relação a alguns parlamentares, Vedoin demonstrou firmeza, e, quanto a outros, mostrou-se reticente.

Medidas disciplinares

Sobre as acusações contra um deputado e uma senadora de seu partido – João Grandão (PT-MS) e Serys Slhessarenko (PT-MT) – Fernando Ferro disse que, se forem confirmadas, "serão necessárias medidas disciplinares fortes, pois as acusações são graves".