A Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça do Paraná inicia nessa segunda-feira (18) um mutirão para agilizar os trabalhos nas 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Varas de Família de Curitiba. O corregedor-geral, desembargador Noeval de Quadros, concluiu que é preciso uma medida de choque para reestruturar as varas e reorganizar os serviços, modificando rotinas e metodologias de trabalho. Servidores das 5ª e 6ª Varas de Família vão atuar nas outras quatro serventias, por um período máximo de 90 dias, examinando e dando o devido encaminhamento aos processos. “Haverá significativa melhoria na tramitação de todos os feitos da área de família no Foro Central de Curitiba”, diz o desembargador Noeval de Quadros.

Esse grupo de trabalho, que será composto também pelos juízes de Direito Luis Cláudio Costa e Douglas Marcel Peres, terá poderes para despachar e decidir todos os problemas que surgirem, separando o que deve ir para o arquivo, do que pode ir para nova tentativa de conciliação e do que exige medida urgente, por exemplo. “Isso ajudará a desafogar os muitos processos que tramitam lentamente, em auxílio aos juízes titulares e substitutos que atuam nessas varas”, explica o corregedor-geral.

Serão selecionados também os processos incluídos na Meta 2 do Conselho Nacional de Justiça, ajuizados até 31 de dezembro de 2006, que terão prioridade, assim como os referentes a alimentos e a idosos. Esse esforço concentrado terá a colaboração da Defensoria Pública e do Ministério Público.

 “A ideia é reorganizar o sistema de separação e de procura dos autos, além de padronizar, através de manuais, os procedimentos de todas essas Varas”, afirma o corregedor-geral. “Depois da redução do número de processos nas quatro varas, vamos digitalizá-los e indexá-los por meio eletrônico (Projudi), facilitando o desenvolvimento dos próximos atos”, acrescenta.

(Fonte: TJ/PR)