?Time bom tem de ter sorte, e o Rogério está lá para fazer a diferença, mesmo?. Com essa frase Muricy Ramalho resumiu a importância de Rogério Ceni na classificação são-paulina para a final da Libertadores.

Mas, para o técnico, o importante é que seu time foi mais eficiente que o adversário e mereceu amplamente o placar, mas reconhece que tomou sustos no começo do jogo. ?Nos 180 minutos, o São Paulo jogou melhor, a maior parte do tempo, e por isso ganhou bem do Chivas.

Muricy também repetiu o discurso de que não vai escolher adversário para a final, mas admitiu que decidir no Morumbi é melhor. ?Claro que é bom saber que a gente vai fazer o segundo jogo em casa, mas o São Paulo é um time acostumado com a Libertadores?, comentou.

O São Paulo só poderá fazer festa em sua casa se o adversário na final for o Libertad, que teve pior campanha na fase de classificação. Se o rival for o Inter, o segundo jogo será no Beira-Rio.