A propagação do zika terá um impacto moderado nas economias da América Latina, afetando principalmente os países caribenhos dependentes do turismo, disse o Banco Mundial nesta quinta-feira. A instituição disponibilizou US$ 150 milhões para ajudar o combate ao vírus.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou uma emergência de saúde global em resposta ao zika e os Estados Unidos estão aconselhando mulheres grávidas a evitaram viagens às 26 nações e territórios das Américas onde o vírus está circulando.

Apesar da apreensão, o Banco Mundial estima que a perda de receitas em decorrência da propagação do vírus será de US$ 3,6 bilhões, ou cerca de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) da região. Isso seria a consequência da redução do número de viagens e empregados doentes que podem faltar no trabalho, enquanto os esforços contra o mosquito vão apertar ainda mais os orçamentos nacionais.

Para as ilhas menores, o impacto pode chegar a 1,6% do PIB, de acordo com o banco. Bahamas, Barbados, Antígua e Barbuda então entre as nações com maior risco. Fonte: Associated Press.