Um vulcão indonésio expeliu cinzas a 5 mil metros de altura nas primeiras horas de terça-feira (pelo horário local), na mais poderosa erupção desde seu retorno à ativa depois de mais de quatro séculos de inatividade. A força da explosão do Monte Sinabung pôde ser sentida a oito quilômetros de distância.

“Essa (erupção) foi realmente assustadora”, comentou Anissa Siregar, de 30 anos, enquanto chegava a um abrigo com seus dois filhos dormindo no colo, durante a madrugada. “A situação só está piorando”, queixou-se.

O vulcão, situado na província indonésia de Sumatra do Norte, teve na semana passada sua primeira erupção desde 1600, pegando de surpresa a população local e a comunidade científica. Houve mais de 80 abalos sísmicos vulcânicos nas 24 horas que antecederam a mais recente erupção.

Há temores de que a atual atividade vulcânica seja somente a precursora de uma explosão potencialmente mais destrutiva dentro de algumas semanas ou meses, apesar de também existir a possibilidade de a montanha voltar a adormecer em breve.

Mais de 30 mil pessoas que viviam na fértil encosta do Monte Sinabung foram conduzidas ao longo da última semana a campos de refugiados, mesquitas e igrejas em aldeias próximas. A Indonésia possui atualmente 129 vulcões em atividade. A nação insular foi palco de algumas das piores erupções vulcânicas de que se tem registro histórico.