A atividade eruptiva do vulcão Llaima, 1.080 quilômetros ao sul de Santiago, diminuiu nas últimas horas, informou o vulcanólogo Hugo Moreno, do Serviço Nacional de Geologia.

O especialista disse à rádio Cooperativa que é menor a coluna de gases que emana da cratera principal do vulcão.

Segundo o vulcanólogo, para que o vulcão Llaima volte ao seu nível habitual, ele “deveria estar com a sua cratera destapada, aberta, com fumaça permanente e voltar à sismicidade dos níveis de base”, e isso ainda não aconteceu.

O Serviço de Geologia indicou que também cessou a saída de lava por um dos canais do vulcão.

Moreno informou também que é impossível prever a duração do atual ciclo eruptivo porque “não há padrões, não há periodicidades”.

O vulcanólogo recordou que, durante o século XX, houve “dois ciclos eruptivos que duraram três anos”, apesar de isso não estar ligado ao atual ciclo.