Uma votação online promovida pelo Movimento 5 Estrelas (M5S), maior partido do Parlamento da Itália, desautorizou a abertura de um processo contra o vice-premiê, Matteo Salvini, do partido ultranacionalista Liga.

Ele é acusado de sequestro, abuso de poder e prisão ilegal, no que ficou conhecido como “Caso Diciotti”, quando impediu o desembarque na Itália de 177 imigrantes resgatados no mar.

A maioria dos integrantes do M5S respondeu que ele não deveria ser processado. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.