A votação das eleições gerais do Paraguai foram finalizadas às 16h locais (17h no horário de Brasília) em um clima de tensão e incerteza sobre quais serão os resultados das urnas. A presidência pode ficar tanto para o oposicionista Fernando Lugo da Aliança Patriótica para a Mudança (APC, na sigla em espanhol), quanto para a governista Blanca Ovelar, do Partido Colorado, há 61 anos no poder.

Entre os demais candidatos, apenas o general em reserva Lino Oviedo, da União dos Cidadãos Éticos (Unace), tem chances de ganhar. O militar foi condenado a dez anos de prisão por tentativa de golpe de Estado em 1996, mas passou cinco anos no exílio na Argentina e no Brasil para não cumprir a pena.

Os eleitores que ainda estiverem nas filas poderão votar, e a imprensa poderá divulgar pesquisas de boca de urna uma hora depois do encerramento da votação.

No entanto, algumas emissoras de rádios e televisão soltaram alguns resultados, mas sem especificar o nome dos candidatos, mostrando uma vantagem de seis pontos do primeiro colocado em relação ao segundo.

O governo indicou que os primeiros dados oficiais sairão às 23h de Brasília.

A afluência às urnas, de acordo com a imprensa paraguaia, foi bastante elevada e, segundo especialistas, isso dá vantagem à APC de Lugo.