A Suprema Corte da Venezuela disse, neste sábado, que o líder opositor Leopoldo López foi transferido para o regime de prisão domiciliar. A corte afirmou, em pronunciamento, que López teve tal direito concedido por questões de saúde.

O líder opositor, de 46 anos, estava preso em uma prisão militar pela acusação de incitação à violência durante protestos contra o presidente Nicolás Maduro. O governo venezuelano tem recebido diversas críticas de organismos defensores dos direitos humanos pelas prisões de opositores políticos. O país passa por uma grave crise política e econômica.