Autoridades venezuelanas preparavam-se hoje para formalizar as acusações contra o líder opositor Leopoldo López, que ontem entregou-se à polícia depois de um discurso e foi levado a uma prisão.

Ex-prefeito da cidade de Chacao, López deve ser indiciado por responsabilidade nos episódios de violência ocorridos na semana passada em Caracas.

A formalização das acusações contra López ocorrerá em meio à persistente tensão entre governo e oposição.

Centenas de pessoas aguardam desde cedo o indiciamento em frente ao Paládio de Justiça, no centro de Caracas.

Nos últimos dias, opositores e simpatizantes do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, saíram às ruas em manifestações rivais de repúdio e apoio ao governo.

Morte – Enquanto isso, uma fonte hospitalar confirmou à agência France Presse que uma mulher morreu em consequência de um tiro de arma de fogo na cabeça durante um protesto contra o governo na noite de ontem. Com isso, sobe para quatro o número de mortes confirmadas em protestos desde a semana passada.

A vítima foi identificada como Gênesis Carmona, de 21 anos, atual Miss Turismo do Estado de Carabobo. Ela foi socorrida e submetida a uma cirurgia de emergência para retirar o projétil, mas não resistiu. Fonte: Associated Press.