Autoridades venezuelanas investigam o desaparecimento de 28 mineiros no Estado de Bolívar após familiares denunciarem que eles foram mortos em uma disputa sobre um ponto de mineração ilegal na região.

Segundo parentes, uma gangue que tenta tomar controle da produção ilegal assassinou os mineiros, jogou seus corpos em caminhões e os levou para longe dali.

O governador de Bolívar, Francisco Rangel, negou o massacre, afirmando que os relatos policias deram conta de uma troca de tiros, mas que não foram encontrados corpos.

“Mais uma vez, políticos irresponsáveis estão tentando semear o caos no Estado com informações falsas a respeito do caso”, escreveu em seu perfil no Twitter.

Já familiares dos mineiros disseram que testemunharam o ataque e pedem um maior esforço da autoridade local para investigar os casos. Hoje, eles bloquearam uma rodovia que liga a região ao Brasil em protesto.

Segundo Juan Jose Coello, a última vez que falou com seu filho foi na sexta-feira, pouco antes de ele sair para a mina.

“Eu não estou pedindo por justiça. No momento, apenas peço o retorno do corpo de meu filho, para que ele possa ter um enterro cristão”, disse.

Muitas empresas estrangeiras já operaram no passado na região, que é rica em ouro e diamantes, disse Diego Moya-Campos, analista da IHS Global Insight. No entanto, a maioria dos projetos foram cancelados ou descontinuados nos últimos anos. “A área é de difícil acesso por estar no meio da floresta, além de ser dominada por gangues que reduzem a lucratividade dos empreendimentos”, disse. Fonte: Associated Press.