O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse hoje (28) que o seu governo não vai reconhecer nenhuma lei que puna com sanções funcionários venezuelanos, que venha a ser aprovada pelo Congresso dos Estados Unidos. “Só os impérios coloniais podem aplicar leis extraterritoriais. Qualquer lei que venha a ser aprovada no Congresso dos Estados Unidos, aplicando sanções à Venezuela, é espúria. Não a reconheceremos, rejeitamos e iremos contestá-la em todos os cenários mundiais”, disse Maduro.

O presidente falou em seu programa semanal de rádio Em Contato com Maduro. Ele elogiou a decisão da União de Nações Sul-Americanas de condenar, na sexta-feira (23), a eventual imposição de sanções dos Estados Unidos a Caracas. “Nem as leis do Congresso dos Estados Unidos, nem ameaças, nem sanções deterão a Venezuela”, disse.

O líder socialista confirmou que o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Elías Jaua, viajou para a Argélia, para denunciar “a ingerência dos Estados Unidos” durante o encontro do Movimento de Países Não Alinhados.

“Estão reunidos na Argélia 118 países. Estou seguro de que vão acolher a proposta venezuelana de condenar as ameaças de sanções”, disse, destacando que “o caminho das sanções é um caminho fracassado, como tem sido fracassado o caminho do bloqueio e da perseguição contra o povo cubano”.