O presidente da França, Nicolas Sarkozy, comprometeu-se hoje a erradicar o grupo ETA (Pátria Basca e Liberdade) do país. Ele fez a afirmação durante uma homenagem ao policial francês morto por um suposto membro do grupo separatista basco. “Nós vamos erradicar uma por uma todas as bases do ETA na França. Nós vamos varrê-las uma por uma. Nós vamos desmantelar todas as redes de apoio a esta organização terrorista.”

Sarkozy se encontrou com o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, na cerimônia em Melun, a sudeste de Paris. O ato começou com um minuto de silêncio em homenagem a Jean-Serge Nerin. O policial foi morto a tiros em um subúrbio de Paris há uma semana, no primeiro ataque fatal do ETA contra um policial francês na campanha armada de quatro décadas do grupo por um território independente.

A polícia antiterrorismo francesa prendeu um homem que se identificou como membro do ETA e buscava cinco outros suspeitos, entre eles uma mulher. “Esse crime não ficará impune”, disse Sarkozy. “Nós não permitiremos que o território francês sirva como uma base de retaguarda para terroristas e assassinos.”

Grupo terrorista

O ETA é considerado um grupo terrorista pela União Europeia (UE) e pelos Estados Unidos. O grupo é apontado como responsável por 828 mortes, em sua campanha de 41 anos pela independência da região basca no norte da Espanha e sudoeste da França.

Cerca de cem supostos membros do ETA foram presos em 2009 e cerca de 30 desde o início deste ano, muitos dos quais graças à cooperação entre as polícias espanhola e francesa. A França firmou um acordo especial em janeiro de 2008, permitindo que agentes espanhóis operem no sudoeste da França, como parte da luta conjunta contra o grupo. As informações são da Dow Jones.