O número de crianças mortas por um incêndio em uma creche do México subiu para 43 hoje. A informação foi divulgada pelo governador do Estado de Sonora, Eduardo Bours, à emissora Televisa. O incidente ocorreu na sexta-feira, na cidade de Hermosillo, no norte do país. A tragédia provocou preocupação sobre as normas de segurança em mais de 1.500 creches do país em que o governo mexicano oferece atenção a baixo custo a mais de 200 mil menores. A creche havia passado por uma inspeção de segurança em 26 de maio.

Bours afirmou que, segundo as primeiras investigações, o incêndio começou em um edifício ao lado da creche. Houve demora para se perceber o incêndio, pois o fogo começou entre um revestimento e o teto do local. “Não houve avisos, pois os detectores de fumaça estavam por baixo do falso teto”, disse o governador. Bours afirmou que, na sexta-feira, haviam chegado 173 crianças à creche. Antes do início do fogo, os pais já haviam pegado 50 delas.

O diretor do Instituto Mexicano de Seguridade Social (IMSS), Daniel Karam, disse à emissora MVS Radio que o incêndio aparentemente começou no escritório da Secretaria da Fazenda estadual. Porém, ele assinalou que por enquanto só há indícios e é necessário esperar a conclusão das investigações.

Karam disse que o governo proporá nesta semana que os gastos médicos dos sobreviventes sejam cobertos pelo IMSS pelo resto da vida deles. O instituto também deve arcar com os gastos funerários das vítimas. Ainda permanecem hospitalizados 33 menores, segundo Karam. O presidente Felipe Calderón visitou no sábado algumas das crianças hospitalizadas. Ele prometeu uma investigação das causas da tragédia.