Quase metade dos cidadãos que vivem na Itália (49%) não gasta com despesas além das necessárias, e até 10% não consegue garantir nem o mínimo indispensável para sobreviver, indicou uma pesquisa divulgada hoje.

O levantamento “Os italianos e a alimentação em tempo de crise” foi realizado pela associação de produtores agrícolas italiana, Coldiretti-Swg, e apresentada no Fórum Internacional da Agricultura e da Alimentação que acontece em Cernobbio, no norte da Itália.

A pesquisa indica que 62% dos italianos acredita que a situação econômica da Itália deve piorar, e 54% deles acreditam que ofereceram ao país muito mais do que receberam. O documento aponta também que 57% dos italianos reduziram o desperdício de comida.

Entre aqueles que reduziram o desperdício, 47% procuram realizar compras de forma mais calculada, 31% reduzem as porções de alimento, 24% utilizam as sobras para a refeição seguinte e 18% prestam mais atenção às datas de validade.

Na Itália, os desperdícios alimentares equivalem a um valor anual de 37 bilhões de euros (R$ 90 bilhões), que poderiam garantir a alimentação de 44 milhões de pessoas.