Um dos dois irmãos franceses suspeitos de terem matado 12 pessoas no atentado ao jornal Charile Hebdo, Said Kouachi, de 34 anos, recebeu treinamento militar de uma célula da Al-Qaeda no Iêmen, de acordo com fonte de alto escalão do governo norte-americano.

O treinamento teria ocorrido em 2011 e durado “alguns meses”. Lá, ele teria aprendido a operar armas de pequeno porte e aperfeiçoado sua pontaria. Said teria ido ao Iêmen em um período no qual muitos jovens muçulmanos do Ocidente foram para o país atraídos por Anwar al-Awlaki, clérigo nascido nos EUA, que se tornou figura de destaque nas operações da Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP).

“Nós sabemos que eles foram inspirados pela Al-Qaeda”, disse outro funcionário dos EUA, mas não sabemos a extensão em que estava associados ao grupo”, acrescentou.

O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, disse na quinta-feira que Said foi identificado a partir de imagens de vídeo capturadas por moradores durante o ataque. Um cartão de identidade nacional francesa com o seu nome foi encontrado em um carro de fuga abandonado, ele disse. O cartão de identificação levou os investigadores aos arquivos judiciais de seu irmão mais novo, Chérif Kouachi, de 32, outro suspeito. Fonte: Dow Jones Newswires.