A Comissão Europeia (braço executivo da União Europeia-UE) informou hoje que vai suspender temporariamente uma reclamação de abusos aos direitos humanos contra a França pela expulsão de ciganos do país, depois que Paris prometeu alterar algumas de suas leis para se adequar às regulações europeias.

Um comunicado da Comissária de Justiça da UE, Viviane Reding, diz que Paris respondeu positivamente à insistência da comissão de que salvaguardas processuais sejam respeitadas. O esboço da lei, que deve entrar em vigor em 2011, inclui a emissão de uma ordem expulsão escrita e a possibilidade de apelar contra a decisão. “Eu estou muito feliz com o fato de a razão ter triunfado”, disse o presidente Nicolas Sarkozy.

A França está num impasse com a direção da UE por causa da expulsão de algumas das minorias mais pobres da Europa. Nos últimos meses, a França expulsou mais de 1 mil imigrantes ciganos, a maioria da Romênia, e demoliu centenas de acampamentos ilegais ciganos. A UE havia dado um prazo até a meia-noite da próxima sexta-feira para que Paris implementasse de forma completa a ordem oficial do bloco sobre liberdade de movimento nos 27 países da união, caso contrário o país seria alvo de uma ação legal.

Críticos dizem que a as autoridades francesas estão atingindo de forma desonesta uma minoria étnica e agrupando comunidades inteiras em vez de tratar as expulsões caso a caso. No mês passado, Reding comparou as expulsões às deportações em massa realizadas durante a 2ª Guerra Mundial. O presidente Sarkozy respondeu afirmando que o comentário foi “lamentável”.