O governo da Tunísia ordenou toque de recolher na capital, Túnis, e nos arredores da cidade depois de vários dias de confrontos entre manifestantes e forças policiais do governo de transição. Das nove da noite às cinco da manhã os moradores não poderão sair às ruas, segundo comunicado conjunto dos ministérios de Defesa e do Interior.

A medida foi necessária, segundo o comunicado, veiculado pela rede estatal de televisão, por causa dos atos de “violência e pilhagem” nos arredores de Túnis nos últimos dias. Residentes da capital disseram que jovens saquearam uma grande loja de materiais elétricos e uma farmácia e atearam fogo a vários veículos no distrito de Ethadamen, que foi o centro dos protestos que derrubaram o agora ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali, em janeiro.

Houve também relatos não confirmados de distúrbios nas cidades de Gabes, ao sul do país, e Sidi Bouzid, região central, onde os protestos começaram, em dezembro passado. Em Túnis, manifestações contra o governo de transição realizadas na quinta-feira e ontem foram brutalmente reprimidas pelas forças de segurança.

O Ministério do Interior se desculpou em nome da polícia, que usou bombas de gás lacrimogêneo, barras de ferro e cassetetes para reprimir manifestantes e jornalistas. O Sindicato Nacional dos Jornalistas Tunisianos denunciou a ação. Neste sábado o tráfego de veículos estava bloqueado na Avenida Bourguiba, onde ocorreu a ação. As informações são da Dow Jones.