O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, prometeu hoje fazer “propostas concretas” nos próximos dias para superar o atual impasse com os credores, que deram a Atenas até domingo (12) para fechar um acordo de ajuda que evite a saída do país da zona do euro.

Tsipras disse também que as propostas vão conter uma exigência por um “diálogo genuíno” sobre a reestruturação da gigantesca dívida da Grécia, que, segundo ele, é necessária para dar ao país “uma luz no fim do túnel”.

“Exigimos um acordo com nossos vizinhos, mas um que dê um sinal de que estamos numa base duradoura para a saída da crise”, afirmou o premiê.

Ontem, líderes da zona do euro determinaram que a Grécia tem até domingo para apresentar propostas de reformas econômicas mais duras que levem à liberação de nova ajuda financeira para o país.

Em seu primeiro discurso ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo, Tsipras exigiu um “compromisso justo” com os credores de Atenas, que incluem a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Segundo Tsipras, o retumbante “não” que os gregos deram a última proposta de resgate dos credores, durante plebiscito realizado no domingo, lhe garantiu um novo mandato para “dobrar os esforços no sentido de obter uma solução socialmente justa e economicamente sustentável, sem repetir os erros do passado”. O resultado do plebiscito, porém, não significa uma ruptura com a Europa, ressaltou o premiê.

“Precisamos colocar na mesa uma agenda para o crescimento”, afirmou Tsipras, acrescentando que submeteu ontem sua proposta mais recente aos credores. Fonte: Dow Jones Newswires.