Ao dizer que o governo federal está ficando para trás na “revolução tecnológica”, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apostou numa economia de mais de US$ 1 trilhão nos próximos dez anos, ao reformar sistemas de computador defasados e melhorar a tecnologia da informação, em uma reunião na Casa Branca com executivos do setor.

“Nosso objetivo é conduzir uma transformação na tecnologia do governo federal que vai entregar serviços muito melhores para os cidadãos e maior proteção contra ciberataques”, disse o presidente. “Esse é um grande problema, ninguém tem dúvida… Nós trabalharemos nisso, e nós vamos resolver esse problema”, completou.

Trump não especificou seus planos para conseguir a tal economia. Em vez disso, ele apontou para o recente anúncio de que o Departamento de Assuntos para Veteranos atualizaria seus registros eletrônicos de saúde. Trump afirmou que um anúncio similar está por vir.

Na liderança dos esforços da Casa Branca está Jared Kushner, o genro do presidente e assessor da Presidência, que chefia o recém criado escritório da Inovação Americana do governo; e Chris Liddell, ex-executivo da Microsoft e atual assistente de Trump.

“Agências federais mantêm cerca de 6.100 data centers que podem ser consolidados”, disse Kushner durante o encontro. Ele afirmou que os 10 sistemas mais velhos têm entre 39 e 59 anos, acrescentando que o pentágono ainda usa disquetes em alguns casos. “Estamos aqui para melhorar o dia-a-dia dos nossos cidadãos”, disse Kushner, “Essa é uma promessa central, e nós vamos mantê-la”.

Liddell afirmou em uma entrevista que estava satisfeito com as sugestões dos executivos. “Nosso trabalho agora é classificá-las e decidir qual vamos aplicar”, disse.

O diretor-executivo da Apple, Tim Cook, elogiou a Casa Branca por focar na melhora de sua tecnologia, que, segundo ele, seria um investimento que se pagaria rapidamente.

“Esse deve ser o governo mais moderno do mundo”, disse Cook ao presidente no começo da reunião. “O governo deve estar focado em seus cidadãos, e os serviços do governo devem ser medidos em como os cidadãos estão recebendo esses serviços”, completou. Fonte: Dow Jones Newswires.