Dezenas de milhares de trabalhadores saíram às ruas das principais cidades asiáticas e europeias neste sábado para participar das celebrações do Dia do Trabalho e exigir a criação de novos empregos, melhores condições trabalhistas e aumentos de salários.

A maioria das manifestações foi pacífica, mas na província chinesa de Macau foram utilizados jatos de água a gás lacrimogêneo contra manifestantes violentos que tentaram levar a marcha para uma rota não aprovada anteriormente.

Aproximadamente mil trabalhadores manifestaram-se contra a inflação e o trabalho ilegal na província. Imagens de um canal de televisão a cabo de Hong Kong mostravam manifestantes derrubando barricadas de metal e lançando-as contra os policiais armados com cassetetes, capacetes e escudos. Os manifestantes também lançaram pedras e garrafas vazias contra os policiais, segundo a Rádio Comercial de Hong Kong.

Em Manila, nas Filipinas, milhares de trabalhadores pediram aumentos salariais e empunhavam cartazes de apoio para seus candidatos para as eleições do próximo dia 10. A presidente Gloria Macapagal Arroyo anunciou que havia pedido ao secretário de Trabalho que apressasse as negociações entre sindicalizados e patrões para um aumento equivalente a US$ 1,67 aos salários mínimos diários.

Em Jacarta, na Indonésia, milhares de trabalhadores marcharam até o palácio presidencial, mas as ruas estavam vigidas por 15 mil policiais.