Pelo menos 46 terroristas condenados foram libertados ou estão prestes a ficar livres, o que “representa um risco” para o público, revela um documento secreto do governo britânico ao qual o jornal Daily Telegraph teve acesso. Segundo o diário, o governo local está elaborando estratégias para controlar essas pessoas fora da prisão.

O Daily Telegraph afirma haver uma preocupação pelo número “significativo” de extremistas islâmicos que foram ou estão prestes a ser soltos. Por isso, ministérios do Reino Unido estão discutindo novas regras para supervisioná-los, revela o jornal em seu site.

O diário cita que entre as normas estão restrições aos imãs (líderes religiosos muçulmanos) aos quais os extremistas poderão ter acesso. Além disso, os ex-presos não poderão visitar certas mesquitas nem se associar a pessoas com ficha criminal. Há ainda a ideia de proibi-los de usarem computadores.

Segundo dados do Ministério da Justiça citados pelo jornal, pelo menos 20 terroristas condenados já foram libertados este ano, após cumprirem suas sentenças. Outros 26 devem ser liberados nos próximos dois anos. Segundo estimativas citadas pelo diário, mais de cem terroristas islâmicos condenados cumprem atualmente penas em prisões britânicas.