O segurança que assassinou o meio-irmão do presidente afegão, Hamid Karzai, havia sido recrutado pelo Taleban três meses antes, afirmou hoje outro irmão de Karzai. Imediatamente após a morte nesta semana de Ahmed Wali Karzai, o chefe do conselho provincial de Kandahar, partidários dele e funcionários afegãos e dos EUA disseram que o assassinato tinha motivação pessoal, não relacionada com o Taleban, informou o Wall Street Journal.

Desde então, porém, a investigação afegã mostrou que Sardar Mohammed, o comandante de polícia que matou Ahmed Wali Karzai a tiros, havia se reunido recentemente com membros do Taleban em Quetta, no Paquistão, disse Mahmood Karzai, irmão mais velho do presidente. “Nós estamos investigando que ele esteve em Quetta durante os últimos três meses”, afirmou Mahmood Karzai.

Caso seja confirmada, a ligação do Taleban com o assassinato mostra a força do grupo no sul afegão, apesar do reforço de tropas norte-americanas na área. Sardar trabalhava para Ahmed Wali Karzai havia sete anos. O segurança foi morto por colegas, logo após matar o irmão do presidente. As informações são da Dow Jones.