Um carro-bomba que estava estacionado em uma rotatória perto da entrada do aeroporto de Cabul, no Afeganistão, explodiu matando ao menos cinco pessoas e ferindo outras 16, disseram autoridades. O porta-voz Taleban, Zabihullah Mujahid, disse no Twitter que o grupo militante estava por trás do ataque e que tinha como alvo estrangeiros.

O chefe da polícia provincial de Cabul, Abdul Rahman Rahimi, disse à Associated Press que um carro cheio de explosivos explodiu em cruzamento movimentado. A explosão ocorreu às 12h do horário local (5h30 de Brasília).

Em uma coletiva de imprensa, o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, pediu para que o Paquistão reprima os insurgentes do Taleban.

“Sabemos que eles têm santuários no Paquistão e que eles estão ativos no país. Precisamos que todas essas atividades sejam interrompidas”, disse Ghani.

Desde que assumiu o cargo há um ano, Ghani tem buscado estreitar as relações com o Paquistão, na esperança de que ele poderia usar sua influência com os Talebans para chegar a negociações de paz.

No entanto, nesta segunda-feira, Ghani afirmou que “não queremos que o Paquistão medie as negociações de paz, mas sim que pare as atividades do Taleban em seu solo”.

Na explosão de hoje, lojas ao redor da explosão foram destruídas, assim como um salão, de acordo com testemunhas.

Cabul tem sido atingida por uma série de ataques nos últimos dias, que já mataram dezenas de pessoas e centenas ficaram feridas.

A recente onda de violência ocorreu após o serviço de inteligência afegão dizer que o antigo líder do Taleban, o mulá Mohammad Omar, estava morto há mais de dois anos. A divulgação de sua morte, depois confirmada pelo grupo, desencadeou uma disputa de sucessão interna e levantou questões sobre o futuro do Taleban. Fonte: Associated Press.