Militantes do Taleban reivindicaram hoje a autoria de um atentado suicida realizado ontem contra um prédio da Organização das Nações Unidas (ONU) em Islamabad, capital do Paquistão. O grupo afirma que atacou o edifício do Programa Mundial de Alimentos da entidade porque o trabalho internacional de ajuda no Paquistão não atendia “ao interesse dos muçulmanos”. O atentado deixou cinco trabalhadores mortos e levou a ONU a fechar temporariamente seus escritórios no país. Também demonstrou a vulnerabilidade das agências de auxílio internacionais.

“Nós orgulhosamente reivindicamos responsabilidade pelo ataque suicida no escritório da ONU em Islamabad. Enviaremos mais suicidas para tais ataques”, afirmou um porta-voz do grupo, por telefone. “A ONU e outros estrangeiros não estão trabalhando para o interesse dos muçulmanos. Nós estamos monitorando as atividades deles. Eles são infieis”, disse. Segundo o porta-voz, entidades humanitárias muçulmanas não serão alvos.

Um porta-voz do Programa Mundial de Alimentos afirmou que a agência é “totalmente humanitária”. O primeiro-ministro Yusuf Raza Gilani disse que os mortos no atentado estavam servindo a “uma causa nobre”.

O ministro de Interior, Rehman Malik, afirmou que o Taleban realizou a ação para vingar a morte do líder do grupo no país, Baitullah Mehsud. Ele foi uma das vítimas de um ataque realizado pelos Estados Unidos em agosto. Segundo o ministro, deve haver mais atentados do tipo.