A Suprema Corte da Alemanha rejeitou, nesta terça-feira, proibir a existência do Partido Democrático Nacional, de extrema direita, argumentando que, embora o partido se assemelhe ao partido nazista de Adolf Hitler, ele não representa uma ameaça séria para a democracia alemã.

A decisão foi tomada após a Câmara Alta do parlamento alemão apresentar um apelo para proibir o partido em 2013, argumentando que ele defende visões neonazistas e viola a Constituição da Alemanha. O próprio partido argumentou que sua proibição seria incompatível com a democracia.

O apoio ao Partido Democrático Nacional vem diminuindo após sua popularidade estar em alta durante os anos 1990. Hoje, o partido tem menos de 6 mil membros. Fonte: Dow Jones Newswires.