Pelo menos 19 pessoas morreram quando milicianos armados com fuzis de assalto e granadas propelidas por foguetes atacaram uma delegacia controlada por soldados da União Africana (UA) na Somália.

A delegacia atacada fica em Beledweyne, perto da fronteira com a Etiópia. O coronel Osman Dubbad, comandante das tropas de Djibuti na cidade, disse que os milicianos forçaram a entrada na delegacia, o que deu início a uma troca de tiros que estendeu-se por cerca de uma hora.

De acordo com o coronel Dubbad, cinco soldados e quatro civis morreram no ataque. Em meio à troca de tiros, os soldados mataram os dez supostos agressores, entre os quais havia pelo menos dois militantes suicidas.

O grupo extremista islâmico somali Al-Shabab assumiu a responsabilidade pela ação. Fonte: Associated Press.