Soldados abriram fogo contra civis na Costa do Marfim novamente nesta terça-feira, matando pelo menos quatro pessoas – três homens e uma mulher – depois de centenas de manifestantes terem tomado as ruas para protestar contra as mortes de sete mulheres durante uma marcha na última quinta-feira.

Um vídeo ao qual a Associated Press teve acesso capturou os minutos que antecederam o ataque de quinta-feira, em Abobo. No vídeo, são ouvidos gritos e o cinegrafista filma os corpos de pelo menos quatro mulheres. Outra, ainda viva, tenta se reerguer, mas tomba sobre seu próprio sangue.

Muitos dos organizadores dos protestos em Abobo ficaram em casa hoje, temendo represálias das forças de segurança. Mas centenas de outros tomaram as ruas, aproveitando o Dia Internacional da Mulher para expressar o descontentamento com o regime de Laurent Gbagbo.

Gbagbo recusa-se a deixar o poder, mesmo após a comissão eleitoral do país declarar o líder da oposição, Alassane Ouattara, o vencedor do pleito realizado em 28 de novembro do ano passado. Cerca de 400 pessoas já morreram desde então, a maior parte delas civis que votaram em Ouattara.

Mas a violência de hoje contra a marcha das mulheres provocou reações internacionais. O ministro de Relações Exteriores do Reino Unido para a África, Henry Bellingham, chamou o incidente de “um ato deplorável e covarde contra manifestantes desarmados que pediam que os resultados da eleições presidenciais fossem respeitados.” A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, divulgou comunicado contundente no qual afirma que “Gbagbo e suas forças mostraram extremo desrespeito à vida humana”. As informações são da Associated Press.