Soldados leais ao líder líbio Muamar Kadafi estão impedindo que cerca de 30 mil trabalhadores migrantes fujam para a Tunísia e obrigando muitos a retornarem ao trabalho em Trípoli, disse Ibrahim Osman, representante da Federação Internacional das Sociedades Cruz Vermelha e Crescente Vermelha à Associated Press. Segundo ele, os migrantes eram reunidos e mantidos em prédios da imigração líbia próximos à fronteira com a Tunísia na semana passada.

“Os trabalhadores estão sendo trazidos de volta pelos líbios para retomarem seus trabalhos”, disse Osman. Segundo ele, alguns refugiados e trabalhadores estrangeiros ao longo da fronteira em Ras Ajdir, de onde ele voltou no final de semana, disseram ter visto soldados armados de Kadafi usando ambulâncias como “meio de entrar no hospital” em Trípoli e retirar pacientes para executá-los fora dali.

A agência de refugiados da ONU expressou alarme nesta terça-feira com o que chamou de crescente violência por parte de líbios armados contra africanos subsaarianos. O medo é grande, em meio aos rumores de que mercenários foram contratados por Kadafi para matá-los. Em algumas cidades, supostos mercenários foram linchados. As informações são da Associated Press.