Soldados indianos e paquistaneses trocaram tiros durante 12 horas entre segunda e terça-feira (29) na dividida região da Caxemira. O Exército da Índia qualificou o incidente como a pior violação da trégua acertada em 2003 entre os dois vizinhos e rivais nucleares. O novo confronto ocorreu um dia depois de um soldado indiano e quatro paquistaneses serem mortos na região, segundo informações do comando militar indiano. O Paquistão nega que tenham ocorrido baixas no incidente.

“Trata-se da pior violação do cessar-fogo ocorrida nos últimos cinco anos”, assegurou o tenente coronel Anil Kumar Mathur, porta-voz do Exército indiano. “Estamos tentando marcar uma reunião com o comando militar do Paquistão para protestar contra a violação”, prosseguiu o porta-voz.

O novo confronto terminou por volta do meio-dia desta terça, pelo horário local, concluiu o tenente coronel. Não há informações disponíveis sobre vítimas no novo confronto.

Desde meados do século passado, quando tornaram-se independentes da Grã-Bretanha, Índia e Paquistão travaram três guerras, duas delas por causa da Caxemira, mas a região vinha vivendo um período de relativa calma desde 2003, quando a trégua entrou em vigor.

Tanto Nova Délhi quanto Islamabad reivindicam o território himalaio em sua totalidade. Mais de uma dúzia de grupos de rebeldes islâmicos têm lutado contra as forças da segurança na Caxemira indiana desde 1989.