A tempestade “Ernesto”, que nas últimas horas se transformou em uma área de baixa pressão remanescente, matou sete pessoas no México, depois que às duas vítimas registradas na quinta-feira no estado de Tabasco se somaram nesta sexta-feira cinco mais em Veracruz.

Em Veracruz morreram três membros de uma família na zona de Rio Blanco, quando uma árvore caiu sobre o carro em que estavam, disse hoje à Agência Efe o porta-voz de Defesa Civil de Veracruz, Manuel Escada.

Outras duas pessoas se afogaram depois de serem arrastadas pela corrente de um rio no município de Tihuatlán, segundo informou o governador do estado, Javier Duarte.

Outra pessoa faleceu ontem em Coatzacoalcos antes que a tempestade “Ernesto” chegasse ao México, ao escorregar quando em que realizava consertos em sua casa, mas as autoridades locais descartaram que a morte estivesse relacionada com a passagem do fenômeno climático.

Até agora, a tempestade intensificou chuvas nos 212 municípios de Veracruz, onde a Defesa Civil ordenou evacuações de pelo menos 1 mil pessoas às margens de vários rios, e danos em casas e infraestrutura popular, com alguns cortes e deslizamentos de terra.

Duarte disse a uma emissora de TV que cerca de 600 casas e três pontes foram danificadas pela passagem da tempestade, e 11 municípios se encontram parcialmente incomunicáveis pelo fechamento da estrada federal Orizaba-Zongolica, onde caíram duas barreiras.

“Ernesto” se enfraqueceu nas últimas horas tornando-se área de baixa pressão sobre o sul do México, desagregada em três frentes que deixarão chuvas intensas durante dois ou três dias, mas seu índice de periculosidade se mantém “forte”, segundo o Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

Os meteorologistas preveem chuvas torrenciais alcançando no total 150 milímetros nos estados de Puebla, Hidalgo e Querétaro, e em atividade elétrica em Oaxaca e San Luis Potosí.

Em seu caminho para o Pacífico, “Ernesto” também causará tempestades elétricas na zona do Vale do México, por isso especialistas do SMN pediram para a população permanecer sob resguardo nesta sexta-feira e sábado, e evitar as estradas e zonas propícias a inundações.

Está previsto que o fenômeno saia pelo lado do Pacífico frente ao centro turístico de Acapulco, onde pode ganhar força novamente após atravessar o Caribe e o Golfo do México.