Mais de cinco senadores norte-americanos, liderados por republicanos, saíram a campo hoje contra a recente decisão da administração Barack Obama de permitir níveis maiores do etanol misturado à gasolina.

Em carta à Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês), os senadores Susan Collins (Republicana pelo Maine), Benjamin Cardin (Democrata por Maryland), James Inhofe (Republicano por Oklahoma) e outros afirmam que o etanol pode prejudicar os motores dos veículos, e pediram à EPA que reconsidere sua decisão de aumentar o etanol na gasolina para carros novos.

Os parlamentares se opõem à decisão da EPA no momento em que fabricantes de automóveis nos EUA, bem como petrolíferas, entraram com ações judiciais para derrubar a determinação da agência estatal nos tribunais.

No ano passado, a EPA decidiu aumentar a mistura do etanol na gasolina para os automóveis fabricados após 2007.A norma permite que a gasolina tenha até 15% de etanol, acima do nível atual de 10%.

A agência deverá determinar nos próximos dias se a mistura é válida também para todos os carros fabricados após 2001. A mistura com 15% de etanol continuará a ser proibida para veículos mais antigos.

Existem 200 milhões de motores em uso nos EUA – incluindo de barcos, lanchas e outros veículos – que não têm a permissão de usar a gasolina com o etanol, disseram os senadores. “Defeitos em motores de aviões, barcos e geradores deixarão os consumidores em risco considerável”, disseram os parlamentares, em carta.

Já os produtores de etanol acreditam que os consumidores serão capazes de distinguir entre os diferentes níveis de mistura do etanol na gasolina e usarem as misturas apropriadas para os veículos. Mais cedo, nesta semana, eles lançaram adesivos de advertência para as bombas de combustíveis nos postos. As informações são da Dow Jones.