O Senado dos Estados Unidos aprovou neste sábado uma medida de curto prazo que mantém o financiamento aos gastos do governo até a próxima quarta-feira e evita a sua paralisação. Os senadores devem retomar na próxima semana as discussões sobre o projeto de Lei de Orçamento para o ano fiscal de 2015.

Na sessão de ontem, os senadores republicanos Ted Cruz, do Texas, e Mike Lee, de Utah, apresentarem objeções ao projeto, o que forçou uma sessão extra neste sábado. O orçamento para o próximo ano prevê gastos de US$ 1,1 trilhão e foi aprovado na última quinta-feira na Câmara dos Representantes em votação apertada.

“Infelizmente, um pequeno grupo de senadores republicanos determinou que é de seu interesse político manter essa legislação refém”, disse o líder democrata Harry Reid durante a sessão de hoje.

O projeto de lei não inclui medidas para bloquear o plano do presidente Barack Obama de proteger milhões de imigrantes ilegais de deportação, o que irritou muitos republicanos.

Numa tentativa de acalmar os conservadores, líderes do Congresso elaboraram um plano de gastos que prevê o financiamento da maior parte do governo até setembro de 2015. No entanto, o Departamento de Segurança Interna, que cuida dos programas de imigração, teria recursos apenas até fevereiro. Dessa forma, os republicanos poderiam derrubar o plano de Obama no ano que vem, quando serão maioria no Congresso.

Republicanos como Ted Cruz não quiseram esperar e tentaram retirar imediatamente do projeto de lei o financiamento ao plano de imigração de Obama. Líderes republicanos no Congresso se comprometeram a desafiar o plano de Obama no ano que vem, mas Cruz se mostrou cético quanto às promessas. Fonte: Dow Jones Newswires.