Os secretários dos ministérios do Trabalho e da Previdência do Brasil, André Figueiredo e Helmut Schwarzer, e o chefe da Assessoria Internacional do Ministério do Trabalho, Pedro Amaral deixaram o Timor Leste, num vôo extra colocado à disposição por uma companhia aérea australiana. Eles estavam com dificuldades para retornar ao Brasil depois dos atentados contra o presidente timorense, José Ramos-Horta, e o primeiro-ministro Xanana Gusmão.

Os três brasileiros participavam de um encontro internacional dos países de língua portuguesa. Nesta manhã eles chegaram à cidade australiana de Darwin e seguirão ainda hoje para Sidney, devendo chegar ao Brasil na quinta-feira. "Não vimos nenhum pânico e a situação parece estar controlada pelas Forças de Segurança Internacional", afirmou Schwarzer, acrescentando que também não houve notícias sobre novos enfrentamentos entre os rebeldes e a polícia do Timor Leste.