A seca que afeta a região centro-norte do Chile tornou vulnerável o fornecimento de energia elétrica à área metropolitana de Santiago e obrigou o governo hoje a declarar emergência agrícola na região de Coquimbo.

Na área metropolitana da capital, onde vivem 6,8 milhões dos 17 milhões de habitantes do país, o fornecimento de eletricidade está vulnerável por causa da seca que atinge o reservatório Rupel, vizinho a Santiago. Junto à central termelétrica Renca, são as únicas unidades de grande porte que abastecem diretamente o Chile central.

O diretor executivo dos Engenheiros Electroconsultores, Francisco Aguirre, disse no final de semana ao jornal El Mercurio que as restrições à capacidade de transmissão prejudicam o abastecimento da área metropolitana de Santiago, situação que poderá se agravar em março, quando centenas de milhares de habitantes de Santiago voltarem das férias de verão e o consumo de eletricidade voltar ao nível normal.

Após seis anos de seca, há escassez de água para consumo humano, animal e agrícola em Coquimbo. O governo irá liberar 1,6 milhão de pesos (US$ 3,3 milhões) para apoiar os pequenos agricultores. Entre as medidas a longo prazo, o governo pretende aumentar a capacidade das represas locais em 25%, de 4 mil metros cúbicos a 5 mil metros cúbicos. As informações são da Associated Press.