A Rússia criticou nesta terça-feira (2) a União Européia (UE) por ter ameaçado adiar as negociações sobre um novo acordo de parceria por causa da guerra na Geórgia e qualificou as manifestações do bloco sobre o conflito como enviesadas. As críticas européias foram feitas depois de uma reunião de líderes dos 27 países da UE realizada ontem em Bruxelas.

Os líderes europeus ameaçam suspender as negociações sobre um amplo acordo político e econômico entre Bruxelas e Moscou caso a Rússia não conclua a retirada de seus soldados da Geórgia.

“A parceria com a União Européia não deveria ser feita refém do conflito”, disse Andrei Nesterenko, porta-voz da chancelaria russa, durante conversa com jornalistas em Moscou. Ele afirmou ainda que estão ocorrendo esforços para reconstruir as forças armadas georgianas e acusou o Exército da Geórgia de estar por trás dos protestos contra a presença de soldados russos no país. Autoridades georgianas não foram encontradas para comentar.

Enquanto isso, o primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, afirmou durante visita ao Usbequistão que Moscou responderá com calma à elevação no número de navios da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Mar Negro. “A reação será calma, sem histeria. Mas é claro que haverá uma resposta”, disse o chefe de governo russo, citado pela agência de notícias Interfax.

Questionado sobre quais medidas a Rússia pretendia adotar, limitou-se a dizer: “Vocês verão”. As declarações foram divulgadas por agências russas de notícias.