O jipe-robô Curiosity, que está em Marte desde o início do mês, usou sua arma laser pela primeira vez ontem. O alvo foi uma rocha, cujos minerais serão analisados. O laboratório robótico da Nasa acertou 30 pulsos de laser em uma pedra do tamanho de um punho por um período de dez segundos, segundo nota da agência.

Cada pulso leva uma energia de 1 milhão de watts por cinco bilionésimos de segundo, vaporizando um pedaço de rocha do tamanho de uma cabeça de alfinete e criando uma pequena fagulha, que é analisada por um aparelho montado no jipe. O brilho dá aos cientistas informações sobre a composição química da rocha.

O sistema, o Chemistry-and-Camera ou ChemCam (“química e câmera”), é capaz de identificar mais de 6.000 comprimentos de onda nos espectros ultravioleta, infravermelho e visível e pode fazer 14 mil análises durante a missão em Marte.

O propósito desse primeiro uso do laser foi um treino de pontaria do instrumento. Mas os cientistas vão analisar os dados da rocha, que eles chamaram de “Coronation” (“coroação”). Hoje, a Nasa anunciou uma nova missão robótica rumo à Marte, que deverá partir da Terra em 2016.

A InSight, como foi batizada, consistirá em instrumentos que vão investigar o interior do planeta, como o seu núcleo, por exemplo.