Uma réplica de terremoto de magnitude 6 atingiu hoje o Chile, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês). Duas semanas antes, um tremor de 8,8 atingiu o país, causando tsunamis e deixando cerca de 500 mortos.

O tremor, hoje, foi uma das mais de 200 réplicas ocorridas na nação sul-americana desde o terremoto de 27 de fevereiro. A mais recente réplica ocorreu às 8h08 (hora local), com epicentro 105 quilômetros a nor-noroeste da cidade costeira de Concepción. O tremor teve profundidade de dez quilômetros.

O Chile sofreu ainda um blecaute ontem. Segundo autoridades, 98% do fornecimento de eletricidade já havia sido restaurado hoje. A informação foi divulgada por Vicente Núñez, diretor do Escritório Nacional de Emergências (Onemi, na sigla em espanhol), em entrevista à Rádio Cooperativa.

“Em nível nacional, a situação está sob controle”, afirmou Núñez. Muitas pessoas deixaram suas casas, ontem, temendo que o blecaute fosse causado por alguma réplica. “O terremoto que nós tivemos foi um dos maiores na história do mundo e é óbvio que ele deixou muitas estruturas danificadas e vulneráveis”, disse o ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, também em entrevista à Rádio Cooperativa. “E o que nós vimos ontem foi um efeito imediato do terremoto”, completou.

O ministro afirmou ainda que não houve distúrbios nem saques por causa do blecaute. “Isso também mostra que o governo está em ordem e tomando as decisões rapidamente”, afirmou Hinzpeter. O ministro integra o gabinete do presidente Sebastián Piñera, que assumiu na semana passada o posto até então ocupado por Michelle Bachelet. A presidente foi criticada por não ter agido rapidamente para evitar saques e evitar a desordem pública nas áreas mais atingidas pelo terremoto de 27 de fevereiro. As informações são da Dow Jones.